Educação Bilíngue tem sido um tema comum na esfera escolar, principalmente na rede particular, mas também de forma crescente na rede pública. Há uma proliferação de programas, de soluções, de modelos, pacotes, fórmulas, ou como quiserem chamar, que visam principalmente levar às escolas, de maneira geral, uma proposta mais eficiente de ensino e aprendizagem da Língua Inglesa. Algumas se propõem a transformar a escola em bilíngue; outras menos ousadas e talvez mais precavidas, reiteram que o objetivo é levar às escolas a educação bilíngue, não necessariamente as transformando em escolas bilíngues. O tema é ainda mais relevante agora que uma resolução do Conselho Nacional de Educação regulamentará e definirá o que pode ser considerado uma escola bilíngue.

Afora toda essa discussão, é importante para o mantenedor ou gestor escolar saber como escolher o melhor programa para sua escola. O que é um diferencial que agrega valor? O que é marketing puro? O que realmente funciona? O que é uma maquiagem do ensino tradicional? Como me colocar em um Oceano Azul em uma área onde cada vez mais escolas oferecem algum tipo de solução “bilíngue”?

Penso que o gestor precisa pensar no binômio eficiência pedagógica – potencial de marketing. Uma solução bilíngue precisa ser eficiente. Precisa efetivamente ser bilíngue, ou seja: precisa trabalhar a língua como meio, os conteúdos de outras áreas de conhecimento como fim, a gramática de forma implícita e precisa englobar aprendizados inter e transdisciplinar, para citar brevemente as principais características que constroem a identidade de um ensino bilíngue per se. Além disso, essa solução precisará se destacar das outras. Precisa oferecer algo a mais, um trabalho diferente do que a maioria oferece. Hoje os chamados programas bilíngues estão todos muito próximos entre si em termos de oferta: um livro, um pacote de jogos ou brinquedos educacionais, uma oferta maker, acesso a uma plataforma/LMS ou app, e preparação para uma certificação internacional. O diferencial acaba caindo no preço, o que não é nada agradável e diminui as ofertas como um todo. Mas o que pode ser um diferencial, algo inédito, que só sua escola terá?

A Realvi estudou a nova Educação e as gerações nativas digitais para entender o que pode ser incorporado ao ensino bilíngue que seja ao mesmo tempo inovador, único, e pedagogicamente eficiente. E descobriu que, para intensificar a exposição, a imersão do aluno na língua inglesa, as chamadas tecnologias imersivas – Realidade Virtual e Realidade Aumentada – podem desempenhar um papel muito importante. A Realidade Virtual, que substitui o mundo real por um ambiente digitalizado, e a Realidade Aumentada, que faz a interação do ambiente real com objetos digitais e virtuais, proporcionam possibilidades inimagináveis para a educação bilíngue. Imagine viajar pelo espaço, em busca de planetas com condições de abrigar vida, interagindo com uma inteligência artificial a bordo de uma aeronave? Ou viajar no tempo para a época da proclamação da República? Ou ainda conversar com o líder de uma tribo Iorubá na África? Tudo isso é possível através da Realidade Virtual, fazendo o aluno mergulhar em mundos como se eles existissem de verdade. Com a Realidade Aumentada, podemos fazer animações interagirem com objetos reais, aumentando a percepção sobre os mesmos.

Além disso, o uso de um mecanismo de reconhecimento de fala aliado a uma inteligência artificial possibilitam que o aluno seja capaz de efetivamente falar com personagens virtuais, praticando sua oralidade em um ambiente mais aplicado à realidade. Sua fala pode depois ser analisada pelo professor, ouvida por ele, que pode então identificar pontos de atenção e de desenvolvimento de maneira mais individualizada. A solução da Realvi é pedagogicamente consistente, garantindo um ensino de alta qualidade e com grande engajamento por parte dos alunos.

Não há hoje no mundo nenhuma outra solução bilíngue que se utiliza dessas tecnologias de ponta para a educação bilíngue. Isso significa, além de uma vantagem pedagógica, pois os alunos estarão mais engajados e motivados para trabalhar com algo que pertence ao seu mundo digital, uma vantagem competitiva enorme: é o Oceano Azul do bilíngue. Com uma estratégia de marketing focada na visibilidade dessa solução, totalmente inovadora e pedagogicamente eficiente, as escolas poderão se posicionar de maneira diferente, sendo gradualmente reconhecidas como de vanguarda e com um apelo para os jovens em idade escolar, o que certamente terá como consequência um acréscimo no número de alunos e uma fidelização maior de sua base.

A nova geração da educação bilíngue nasce com o uso de tecnologias imersivas e inteligência artificial, mas não pára por aí. Ambientes virtuais gamificados, cocriação, espaços wiki… o mundo digital abre novas janelas para possibilidades ainda não imaginadas, mas que serão cada vez mais possíveis. E a Realvi estará liderando essa aventura. Junte-se a nós!