O começo da pandemia foi caótico. Todo mundo correu para dentro de casa, empresas demitiram funcionários, alunos pararam de frequentar as escolas, as bolsas de valores no mundo todo desabaram. A incerteza trazida por uma situação nunca vivida em tempos recentes nos pegou de surpresa e, como é esperado, quando tomamos um susto, primeiro paramos para avaliar o perigo, na sequência respiramos e depois seguimos em frente.

E é justamente esse o ponto que quero abordar. É hora de seguir em frente! Isso não significa ignorar o vírus nem agir de modo a colocar vidas em risco, mas sim de fazer o possível para oferecer segurança às pessoas e, principalmente, voltar a pensar e planejar o futuro.

Recentemente vimos que uma boa parte das empresas já começou a recuperar seus negócios, até mesmo empresas aéreas e de turismo já esboçaram retomada relevante.

Isso também é verdade com relação às escolas. A medida emergencial de isolamento foi tomada de forma bastante rápida e eficiente. Rapidamente os alunos passaram a ter aulas de casa e agora já estão voltando às aulas presenciais com os devidos cuidados para evitar contaminação pelo vírus.

Mas e agora, o que vem pela frente? Tenho percebido que há muitas escolas inseguras com relação a 2021. É uma preocupação justificável, mas não podemos deixá-la nos paralisar e esquecer de que a pandemia irá embora e nós continuaremos aqui.

Uma das preocupações é com relação ao conteúdo a ser cumprido. Uma vez que não será obrigatório cumprir os dias letivos de 2020, parte do conteúdo vai acabar ficando para trás. Minha sugestão é fazer um bom planejamento para 2021 e priorizar conteúdos que permeiem mais de uma disciplina de modo a fechar essas lacunas deixadas por 2020. Esses conteúdos em geral são mais importantes pois podem travar o avanço do aluno e geralmente são mais ricos por conectarem diversos pontos do aprendizado.

Nas aulas de inglês, por exemplo, as escolas que são bilíngues e utilizam metodologia CLIL têm oportunidade de complementar o conteúdo de outras disciplinas aproveitando assim o tempo da aula de inglês como uma extensão destas.

Outra preocupação é com relação às matrículas. Em primeiro lugar deve-se pensar em manter os alunos atuais. Por isso, passar segurança e confiança aos pais é essencial. Faça pesquisas de satisfação frequentes, reforce e melhore a comunicação com eles buscando transparência e mostrando qual é o plano da escola e o porquê das decisões que estão sendo tomadas.

Pensando não somente em retenção, mas também em aquisição de alunos, busque alguma inovação ou algum projeto que a escola possa começar de forma pequena, mas que demonstre que ela continua engajada em oferecer um ensino de qualidade e comprometida em preparar os alunos para o mundo real. Essa é inclusive uma semente que pode ser plantada pensando em 2022.

Portanto, organize-se e elabore uma lista de ações que você precisa tomar agora para não ficar para trás lá na frente.

Lembre-se: agora é hora de pensar no futuro e, se a insegurança bater, busque pequenos passos, pois qualquer pequeno passo é melhor do que ficar parado.