Você conhece Kevin Kelly?

Kevin Kelly é um pensador americano, considerado um “futurista”, ou seja, um profissional que, baseado nos avanços tecnológicos da humanidade, consegue prever um futuro possível para daqui a 3 ou 4 décadas. Foi co-fundador da revista “Wired”, e consultor para filmes como “Minority Report” e a série “Futurama”. Em 2016 Kevin Kelly escreveu o livro “Inevitável”. Nele, Kelly lista as 12 forças tecnológicas que mudarão o nosso mundo.

Kevin Kelly tem uma visão otimista do avanço tecnológico: nada apocalíptico como alguns filmes de ficcção querem sugerir, mas sim um futuro onde a vida será melhor para todos. E, segundo ele, não caberá a nós aceitarmos ou recusarmos esse novo mundo: ele é, como o título do livro diz, inevitável.

Kevin Kelly

A narrativa do livro é muito interessante: cada capítulo descreve uma das forças tecnológicas, como ela já se apresenta em nosso mundo hoje e o que ela representará em nossas vidas daqui a pelo menos 30 anos. Mas a última parte de cada capítulo é que é desconcertante: Kevin Kelly narra como seria um dia em nossas vidas sob a regência de cada uma dessas forças tecnológicas.

Ao longo de alguns posts vou descrever resumidamente cada uma dessas forças de acordo com Kevin Kelly, e vamos embarcar numa viagem ao futuro, imaginando nossas vidas envolvidas por tecnologias ainda hoje inimagináveis. Começo hoje com as duas primeiras forças: Tornar-se e Cognificar.

Tornar-se

Segundo Kelly, essa força diz respeito à velocidade das mudanças e como elas estão se incorporando ao nosso dia-a-dia. Um exemplo concreto é a velocidade das atualizações de softwares, de aplicativos e de sistemas operacionais. Tudo vai sendo constantemente atualizado, às vezes com nossa autorização, outras vezes não, e de certa forma vai aos poucos se tornando algo completamente diferente do que originalmente tínhamos – e geralmente muito melhor. Ao mesmo tempo, quando grandes atualizações acontecerem, essas serão completamente disruptivas. Kelly acredita que nesse sentido a nova internet, quando chegar – e há muitos estudos nesse sentido – será tão diferente da internet atual quanto ela mesma foi diferente da televisão quando surgiu pela primeira vez.

Cognificar

É uma das forças que mais me encanta. Segundo Kelly, essa força é ligada à Internet das Coisas (IoT em inglês). Cognificar significa colocar inteligência em tudo ao nosso redor. Mas tudo significa exatamente TUDO: talheres, mesas, calçados e roupas, além dos eletrodomésticos em geral. Imagine um calçado cognificado que, na primeira vez que você o calça ele escaneia seus pés e se ajusta perfeitamente ao formato deles? Ou ainda uma geladeira que, quando acaba algum produto, já encomenda o mesmo online para ser entregue em sua casa? Ou uma máquina de lavar cognificada que conversa com suas peças de roupa também cognificadas descobrindo como lavá-las da melhor maneira?

Fascinante, não? Mas o que isso tem a ver com a Educação, e com a Educação Bilíngue? Mais nos próximos capítulos.